O Porque Deste Blog

Blog dedicado a todos que queiram saber mais sobre Dependência Química, suas causas e consequências.

Entender que o drogado não é um vagabundo, sem vergonha e sim um doente que precisa de ajuda de todos e que o familiar também adoece tanto ou mais que o dependente.

Espero que quem aqui passar leve consigo um a esperança de dias melhores e que possam compreender e buscar saber cada vez mais sobre esta doença.

segunda-feira, 11 de junho de 2018

Será Que Meu Adicto Está Mudando?

Olá pessoas queridas!
 Recebi a visita do meu filho no final de semana passado (01 e 02 de junho), fiquei tão feliz, não o via desde dezembro, muito tempo, muitos meses, apesar de estar acostumada já sinto falta e fico bem emocionada quando o vejo.
Ele já vinha me falando que iria vir, mas como ele fala isso e sempre acontece ao contrário, não acreditei muito. Na sexta feira quando ele me avisou que já estava indo para minha casa, fiquei numa imensa alegria, a vontade que eu tinha era de sair do trabalho e ir voando para casa, para recebe-lo de braços abertos. Não contive minha emoção e minha alegria. No trajeto do trabalho para casa não consegui contar as lágrimas, realmente eu estava muito feliz e com uma imensa vontade de abraça-lo, olhar pra ele vê se estava bem, se estava gordinho, arrumado, essa coisas que toda mãe cuida mas que uma mãe de adicto cuida mais ainda.
Desci do ônibus e só faltei sair correndo para chegar muito rápido em casa, quando entrei na minha rua aí sim desabei choro, tive que me acalmar, respirar fundo, asserenar meu coração para poder chegar em casa.
E não deu outra, impossível conter as lágrimas, que abraço mais gostoso que recebi, não queria mais saí dai, grudada nele. Ele tava tão lindo, tão cheiroso, beeem gordo, tava feliz de estar ali.

Que visita maravilhosa! Como foi bom! Como estávamos precisando deste momento. Sei que ele também estava, foi muito importante e produtivo para toda a nossa família.
Ele ficou pouco tempo, no final da tarde de sábado ele foi para casa mais valeu muito a pena.Ficamos muito juntos e isso não tem preço.
Senti ele mais sereno, parecia mais calmo, mais centrado.

Falamos pouco sobre recuperação mas falamos da vida dele, das dificuldades que ele enfrenta com a esposa(as quais eu sempre falei e outras pessoas também), do trabalho dele.
Ele fala muito do filho, do quanto ele é importante para ele e isso é muito bom, pode ser uma ferramenta para a recuperação dele.
Quando ele estava indo embora comentou comigo que pra ele foi bom sair da cidade em que mora para trabalhar pois, segundo ele, onde ele trabalha agora não tem nenhum usuário. Isso facilita para ele. Como ele deu abertura para este assunto, comentei com ele sobre um grupo em um hospital aqui da minha cidade, a reposta foi pois é um acompanhamento psicológico era bom né?
Achei interessante, vou passar para ele as informações deste hospital.
Sei que alguns podem perguntar ah agora ele está mudando então? Ou será que agora ele está tendo um despertar? Você deve estar feliz pela atitude e palavras dele?
E a resposta é: pés no chão, nada de empolgação. Não que eu seja fria (isso eu sou mesmo) mas aprendi a não criar expectativas, viver um dia de cada vez.
Fico contente sim, de ver que ele estava bem mais não fico com o pensamento "agora deu certo, agora ele acordou para a recuperação" até porque não é da noite para o dia que se muda e recuperação não acontece com facilidade.
Bem queridos, era isso, tô bem feliz de ter visto meu filho, realmente estávamos precisando. Realmente desta vez ele estava bem e é isso que importa, viver o dia de hoje.
Como será amanhã ou depois, como ele está hoje, dia 11/06, eu não sei, espero que bem.
Só o tempo irá dizer se ele está mudando, não tem como saber em 24 horas, obviamente que eu espero que sim mas isso não cabe a mim, somente ele pode resolver isso!
E eu sigo aqui seguindo minha vida, com meus compromissos, minha família, meus amigos, minhas coisas e é esta a mensagem que deixo para vocês: independente de qualquer coisa, a vida deve seguir em frente, um dia tudo se encaixa, sempre no tempo de cada um!


quinta-feira, 17 de maio de 2018

As Atitudes Nos Machucam e Nos Fortalecem

Olá pessoal!
E o domingo de dia das mães passou... Não deve ter sido fácil para muitas mães, é um domingo, dolorido, onde nosso coração fica a mil com esperança que quem sabe algo diferente aconteça (em relação ao nosso adicto obviamente).
O meu domingo foi muito bom, passei em família (sem meu adicto - no fundo eu já esperava isso). Mas fomos pra casa da família do namorado da minha filha e tivemos um domingo muito agradável.(As coisas andam tão bem pra nós lá me casa, graças a Deus, é o que falo sempre, tudo se ajeita no tempo de Deus)
Douglas não me ligou, não mandou mensagem e por mais que eu saiba que é só uma data comercial, sempre se espera algo....
No final dia recebo uma mensagem dele que ele e a esposa queriam vir morar na minha casa. Esposa dele me liga perguntando o que eu achoava deles morando aqui pois Douglas não toma jeito e quem sabe aqui em casa seria diferente. Conversei com ele e falei com todas as letras que sem tratamento aqui em casa não tem como ele ficar. Claro que ele não gostou, claro que ele justificou dizendo que sempre ele é o errado, mas é necessário a firmeza para com nossos adictos. Eu sei que meu filho aqui ou onde ele mora vai seguir da mesma forma, pois ele ainda não se rendeu, ainda acha que da forma dele é que as coisas vão se resolver.
Foi uma conversa dolorida pra mim, pois falei pra ele o que acontecia quando ele estava aqui. Mais uma vez coloquei ele pra fora de casa, desta vez indiretamente e como isso é dolorido. Não tem como tu não te abalar, tu não chorar.
Me machucou esta atitude mais me fortaleceu pois sei que este é o caminho, me trabalho muito apra isso

Mas como falei mais acima, estamos num momento bom da nossa família e tive apoio e carinho da minha filha e genro. Minha vontade quando desliguei era de me fechar no meu quarto, chorar tudo que eu tinha que chorar mas minha filha soube com jeito dela me segurar junto deles e acalmar meu coração.

Analisando esta situação do meu filho, eu percebi que como é importante a educação lá na infância como é importante o que se transmite as crianças, os valores, as atitudes. Meu filho quando nasceu, tínhamos uma situação financeira muito boa, tudo nós comprávamos pra ele, tudo era fácil, tudo ele tinha em todos os aspectos, tudo era fácil, não precisava de esforço. E vejo que isso reflete na vida adulta dele pois pra ele as coisas tem que serem fáceis e do jeito dele. Sei que errei neste quesito, mas não me culpo, pois a culpa nos estaciona, tenho é que agir diferente a partir do momento que percebo o erro, ver o que posso mudar agora, o hoje, para refletir lá no futuro!


Outro ponto importante e que sempre falo por aqui é que precisamos trabalhar o desapego emocional, trabalhar o dizer e manter o não pois só assim conseguiremos ajudar os nossos adictos, ajudar a nós mesmos! Se eu não trabalhasse o manter o não, eu não conseguiria ser firme neste momento.



Não desistam! Acreditem!Mudem! Lute!
Um grande beijo a todos e até breve!

quarta-feira, 2 de maio de 2018

É possível seguir nossa vida com a crise instalada?

Olá queridos leitores
Venho trazer mais informações sobre os últimos acontecimentos, as minhas dúvidas e indecisões.
Pergunto?  É possível seguir nossa vida com crise instalada?

Bom, como relatei no post anterior passei por dias conturbados pois eu soube notícias nada boas em relação ao meu adicto e fiquei pensando que poderia ser a hora de agir, porém tive muita dificuldade e dúvidas, relatei então que seria uma decisão a ser tomada (uma nova internação e agora teria que ser uma internação compulsória) com calma, e sem tempo pré determinado.
Então amigos, eu decidi não internar. Não tenho coragem ainda!
O fator determinante para isso foi o  meu pensamento sobre o suicídio(para quem não sabe eu sempre penso que um dia meu filho cometerá suicídio e quando penso em internação compulsória esse pensamento fica muito mais forte) e neste episódio eu tive muito firme em mim que este ainda não era o momento de uma internação compulsória.
Gente, não foi fácil! Fiquei muito insegura na hora afinal! O medo veio, a incerteza ficou ali junto com meus pensamentos, fui dormir pedindo a Deus que eu conseguisse asserenar meus pensamentos.
Acordei no outro dia ( e isso já era quarta feira da semana passada, não levei nem 05 dias para tomar a decisão) muito tranquila com a ideia de que realmente ainda não era o momento de agir desta forma e que realmente eu precisava confiar mais em Deus e seguir com a minha vida, com as minhas tarefas. E foi o que fiz, realmente, passei resto da semana serena, obviamente que preocupada com a situação dele, mas tranquila de que fiz a escolha certa e que  precisamos confiar muito no Poder Superior e agradeci muito a Deus, por eu ter este discernimento, por eu ter pessoas ao meu lado que me ajudam a enxergar as coisas que muitas vezes estão nebulosas. E assim segui minha semana, fazendo minhas atividades relacionadas a minha religião, afinal de contas eu tinha um final  de sema na cheio de compromissos (graças  Deus)


E agora vem a parte boa:
No sábado, dia 28, eu fiz uma atividade na Sociedade Espírita Dom Thomé sobre Drogas. Conversamos 01h30min sobre este tema tão importante e tão relevante. Estávamos em 35 pessoas e foi maravilhoso!! Muito gratificante, muito importante e fortalecedor para mim.
Que tarde agradável gente! Como é bom levar a mensagem aos nossos irmãos! Eu não sabia quem eram as pessoas, quem tinha dificuldades com dependência química mais o fato de levar esta mensagem , de levar informações sobre este tema que assola a nossa sociedade é maravilhoso e me faz uma cidadã melhor, afinal, a sociedade é feita por cada um de nós e está em nossas mãos fazer algo pelo ser humano.
Como eu queria olhar o olho de cada um que estava presente e dizer você é muito importante pra mim, hoje você me ajudou muito, ainda mais depois de um final de semana conturbado, abraçar infinitamente cada um.
Podem ter certezas que estas pessoas, cada olhar que eu vi ficará registrado em minha memória e em meu coração e seguiram me ajudando mesmo que a gente nunca mais se encontre pessoalmente.
Como tenho que agradecer mais e mais o convite!

E aí entra a providência divina e aquela história de que nada acontece por acaso, após termino da atividade eu tive mais e mais certeza que a minha escolha de não internar meu filho realmente estava certa.
Saí desta casa de amor muito leve, serena e feliz pelas escolhas que eu faço. Pois mesmo em muitas vezes essas decisões são doloridas mais quando estamos no propósito e dispostos a ouvir nosso Poder Superior tomamos as melhores decisões.
Me emocionei muito, agradeci imensamente a Deus por eu ter esta oportunidade e por ter meu filho adicto que foi por causa dele, da doença dele que eu me tornei uma pessoa melhor, que olhei o meu próximo de uma outra forma!Como Deus é maravilhoso e nem percebemos pois temos o péssimo habito de só reclamar e acharmos que não deveríamos estar passando por certas situações.

No domingo eu tive uma outra atividade relacionada a minha religião (que não tem a ver com drogas) mais que me ajuda muito e que foi uma ótima atividade, onde tivemos um bom retorno e com certeza me ajudou muito também.

Resposta da pergunta do início deste post: É SIM POSSÍVEL!
Eu não falo isso por me achar a melhor entre as pessoas, muito pelo contrario eu não tenho um terço dos problemas que inúmeras famílias tem, mas falo pelo fato de que eu cresço como ser humano, pelo fato de saber que fiz um pouquinho (ainda acho que é muito pouco) pelo nosso próximo.
Eu estava em meio a uma crise e com decisões importantes a serem tomadas em relação as minhas atividades particulares e relacionadas a minha religião.
Imaginem se eu deixasse na mão essas 35 pessoas que se disponibilizaram para irem assistir ao trabalho sobre drogas.
Imagina se eu deixasse na mão as pessoas que a um ano estavam montando comigo a atividade de domingo.
O quanto eu perderia, o quanto eu seria irresponsável, por isso queridos amigos:
ACREDITEM!! É sim possível vivermos as nossas vidas independente da situação que estamos passando.
ACREDITEM na maravilha que é a vida
ACREDITEM que tudo tem um propósito e que se estamos passando por alguma dificuldade seja ela qual for é porque temos a força para suportar e não está acontecendo com a pessoa errada ou no momento errado.
ACREDITEM na recuperação!


Grande beijo no coração de todos!


terça-feira, 24 de abril de 2018

Tomada de Decisão - Difícil Momento

Oi gente!
Hoje venho falar do meu adicto e a dificuldade que nós familiares temos para as tomadas de decisões.

As coisas com meu adicto não estão nada fáceis (as noticias que tenho dele são através da minha nora (que não é uma pessoa confiável), então fico meio perdida, o que me ajuda muito é tudo que eu já busquei aprender e conhecer meu filho pelas suas atitudes(para quem não  sabe, moramos em cidades diferentes) e como se sabe, a doença se não tratada tende a agravar e é o que está acontecendo neste momento, o uso está cada vez maior e as reações dele mudando e então pensei, é hora de entrar em cena e fazer alguma coisa. E é aí que entra a dificuldade não só minha, mas de muitas famílias.
Para entenderem meu raciocínio:  Eu parto do princípio de que eu tenho que usar os recursos disponíveis para tratamento e os que eu acredito para que, caso venha acontecer algo mais grave eu esteja "tranquila" porque fiz tudo que estava ao meu alcance.
Seguindo este meu raciocínio, hoje eu tenho a minha disposição internação judicial, internação compulsória e desde domingo(dia 22) eu comecei a pensar nessa possibilidade. Ontem passei dia pensando sobre isso, não é algo tão fácil de conseguir mais estava disposta a tentar...
Resolvi então antes de fazer qualquer coisa, falar com meu filho antes(pensei vai que eu falando sobre esse tipo de internação, ele repense).
Falei com ele ontem e pra minha surpresa (que não deveria ser) ele foi bem agressivo com as palavras, como se fala aqui no sul me deu umas patadas, isso fez com que ficasse bem claro a progressão da doença(que também não tem novidade) mas mesmo assim, eu estranhei porque ele nunca foi de me dar respostas, ou debochar, sempre me ouviu calado.
Obviamente que ele segue negando que usa (eu não consigo entender isso, pra mim, ele tem vergonha da condição dele e não assume isso) e me deu mil e uma desculpas, terminou que desligou o telefone.
Que momento difícil! Carambaaaaaaa por mais que eu saiba e acredite que a tendência de quem não se trata é piorar é bem complicado tu passar por isso.

Segui pensando o que fazer, como fazer, devo fazer, tenho dúvidas, medo da reação dele (isso é péssimo, porque medo é falta de fé).
Minha cabeça pensa mil coisas: ele vai me odiar para resto da vida, o que farei apos o tempo de internação, será que vai adiantar( eu muitas vezes penso que não, acho, não sei se por defesa, que a hora dele ainda não chegou), será que ele não cometeria suicídio (tenho muito esse pensamento a muito tempo, minha cabeça tem milhões de pensamentos e 03 certezas:
A)Estou sendo testada na minha fé, afinal de contas eu sei que nada acontece por acaso, que ninguém morre antes do tempo (tirando suicido)
B) Nada absolutamente nada acontece sem a permissão de Deus
C)Esta semana eu tenho atividades relacionadas ao meu segmento religioso tão importantes e eu tenho que estar serena, com mente tranquila e essa situação pode ter surgido agora para atrapalhar as minhas atividades.
Então, decidi que não será esta semana que terei uma decisão do que farei, de repente nem será a semana que vem, preciso pensar muito com calma, com serenidade. O caminho que escolhi é o da fé (difícil para muitas pessoas, mas hoje pra mim é mais tranquilo, mesmo meu coração estando na boca e meus pensamentos a mil).

E no meio de tudo isso, eu lembrei que precisava refletir sobre tudo isso e que eu precisava partilhar sobre este momento e percebi como é difícil as tomadas de decisões, eu confesso que achei que com o tempo ficava mais fácil decidir as coisas mas não é não e me coloquei no lugar das mães que passam por situações muito piores que a minha, afinal, meu filho não está em situação de rua, meu filho não está preso, não está roubando (que eu saiba). Consegui agradecer a Deus por ser uma privilegiada neste meio.

Como é difícil tomar decisões caramba! Muitas vezes dolorido mesmo, mas eu não posso e não devo me colocar numa condição de coitada, ficar com baixa astral porque assim as coisas só pioram.

A mensagem para mim e para todos é que não percamos a fé, que tenhamos bem firme em nossa mente que Poder Superior nos auxilia sempre e é Ele que irá nos guiar para as decisões mesmo que muitas das vezes elas sejam bem doloridas. Confiemos Nele sempre e que possamos ter muita força para as tomadas de decisões.

Que nos preparemos para isso, trabalhando o auto conhecimento, trabalhando o desligamento emocional, trabalhando a fé raciocinada.
Grande beijos a todos e logo trago mais informações.


domingo, 15 de abril de 2018

A dor nos faz crescer

Ontem, 14 de Abril completou 5 anos que tomei uma das atitudes mais dolorosas da minha vida. Nesta data, a 5 anos atrás meu filho foi para a CT Senhor Jesus de Tapes.
Me lembro como se fosse hj, que dia difícil, que dia que não acabavs mais, que viagem mais longa para um local totalmente desconhecido por nós, uma cidade que não conhecíamos, pessoas que nem fazíamos ideia de quem eram e como eram... 
E quando chego lá me deparo com uma realidade totalmente ao contrário do que eu e meus filhos estavamos acostumados.Ficamos assustados mais a minha razão precisava falar mais alto.
E hoje passado todo este tempo eu só tenho a agradecer a Deus por tudo que passei neste período e que ainda passo.
Posso dizer que cresci muito como ser humano, me atrevo a falar que conheço um pouco a dor do outro e me atrevo a dizer mai: que bom que tudo isso aconteceu! Que bom que eu conheci este mundo da DQ, um mundo nada fácil, escuro, triste, nebuloso, cheio de incertezas, com tudo que é tipo de pessoas mais que não estão nem aí para quem somos , como nos vestimos, se temos ou não formação.
Um mundo onde muitos perderam a dignidade de viver, sem um teto, sem família, onde muitos roubam mais que mesmo assim tentam buscar um novo caminho (sei que algumas pessoas não acreditam nisso, mais só quem tá vivendo isso na pele sabe como é e mesmo estando no meio não sabemos as dores e as dificuldades internas de cada usuário de droga)
Realmente sou muito agradecida por tudo, mesmo ainda muitas vezes não entendendo o caminho que meu filho ainda segue.
Agradecida por cada pessoa que conheci, agradecida por cada ensinamento, agradecida por esta rede que formamos nos grupos de whatsapp que temos para as famílias, agradecida pela rede de profissionais que conheci de diversos locais do nosso país e que me ensinaram muito.
Imensamente agradecida a Deus por esta oportunidade, grata por ter meu filho nesta encarnação pois acredito que se não fosse ele eu não estaria vendo as pessoas como vejo hoje e sendo quem eu sou hoje.
Grata a minha família (minha prima aprendeu sobre DQ te tanto me ouvir) principalmente a minha filha Giovana
Incomodei tanto minha amiga Roberta (coitada!!!)
Neste período fiz amizades verdadeiras, algumas pessoas eu nem conheço pessoalmente mais sei que elas estão ali seja a hora que for para me ouvir e acima de tudo não julgar e quanto amor nós temos um pelo outro, quanto carinho!
Queria citar o nome de todas as pessoas mais não tem como, fica aqui meu imensooooooo agradecimento.
Agradecer aos irmãos de caminhada da A.E. Teresa D'Ávila, aos amigos espirituais que sempre estão dispostos a ajudar.
Agradecer ao Grupo de Amor Exigente Esperança de Porto Alegre que me ajudou muito!
Neste período ainda não consegui ajudar as pessoas como eu desejo, mais não desisto aos pouquinhos vou fazendo...
Obviamente que meu desejo maior é ver meu filho longe das drogas, sei que um dia isso vai acontecer, mais não no meu tempo, não como eu quero, será no tempo que deve ser e isso não cabe a mim decidir, enquanto isso vou buscando aprender cada vez mais, buscando ajudar da melhor forma que eu possa e fortalecendo essa rede incrível que temos!